Segundo dia intenso de CUBO

O dia 20 de setembro amanheceu com expectativas renovadas para mais Congresso, enquanto, já bem cedo, os membro da gestão apressaram-se a fim de apresentar tudo perfeito aos seus visitantes. Além das tradicionais palestras e Hands On, aconteceu o Simpósio de antigos alunos, discutindo as possibilidades profissionais em Odontologia, mais cirurgia ao vivo, workshop sobre saúde financeira e nova odontologia, tal como o espaço informal Mad Alegria, tocado pelo aluno Willian Miady Miquelin.

O evento contou com 18 palestras, 2 Hands On, 1 cirurgia ao vivo, 1 workshop e uma boa hora de espaço informal, no intuito de descontrair as 11 horas e meia de evento. Os docentes da casa, no dia anterior, só nas bancas dos painéis eletrônicos, apareceram em peso nas exposições.

Na tradicional atividade do horário de almoço, Willian, aluno da faculdade, instruiu muitos de seus colegas, tal como outros congressistas, em uma dinâmica bem interessante, inspirada em seu cotidiano no Mad Alegria, grupo de extensão da FMUSP prestadora de suporte no Hospital das Clínicas e no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.

Sentados em roda, num clima bem íntimo, cada um dos participantes recebeu uma caixa surpresa e uma missão. O segredo era uma foto de si e a função comentar uma qualidade da pessoa fotografada. Uma tarefa fácil, à primeira vista. Só que, para quem se conhece em tão íntimo, mas não tem um minuto para se exaltar, uma boa vastidão a se perder.

Após a pausa para reflexão, a comunicação tornou-se a tônica do exercício. Tiveram que ler a mensagem que endereçou a si. Surgiu, assim, a conexão. Ao ouvir as autoavaliações alheias, as pessoas se identificavam. Pensavam: “isso se encaixa em mim, também”, revelando quantas qualidades deixa-se passar despercebidas.

A dinâmica rendeu um bom debate, havia vários membros do CUBO, por isso muitos se conheciam e podiam reforçar as virtudes do outro. A presença de fora de casa contribuiu enormemente, entretanto. A cirurgiã-dentista Lorena (nome fictício) dividiu sua experiência em tratar de pacientes com câncer, algo comum no Mad Alegria. Sua abordagem sensível comoveu a todos na sala, que debruçaram-se a aprender.

Já motivados com o conhecimento, os alunos compareceram às palestras ministradas pelos docentes da casa. À começar pela Profa. Dra. Ana Cecília Aranha, que compartilhou sua experiência, tanto a frente da Comissão de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (CCANI-FOUSP), como vivendo a Universidade de Aachen, na Alemanha. Incentivou os presentes, demonstrando que um intercâmbio é muito mais do que uma experiência acadêmica.

Emendou com as explicações sobre os convênios da faculdade, bem como as oportunidades oferecidas. Lembrou os alunos sobre como a FO, por ter uma posição de destaque perante o mundo, tem uma situação internacional diferenciada, mesmo dentro dos padrões da USP. Oportunidade apresentada, estudantes ansiosos com a chance de viver os Andes na América Latina, quem sabe os moinhos da Holanda?

Ao mesmo passo, a Profa. Dra. Marina Cleia Prado resgatava as tradições chinesas em um curso sobre acupuntura. Com o objetivo de apresentar o procedimento para além do científico, buscou acepções com o Ying Yang e o Wu Xing (teoria dos cinco elementos, água, fogo, madeira, metal e terra, ou dos cinco movimentos, visto que há interação dos componentes), uma vez que mais do que os estudos clínicos, a questão energética cultuada pelos orientais, através do Chi, pode ser muito benéfica para o paciente.

Outro dos temas muito relevantes para o conforto do atendido na odontologia é o bom tratamento de uma cárie, sobretudo em casos mais graves. À vista disso o Prof. Dr. Manoel Eduardo Lima Machado apresentou aos alunos a realidade atual da endodontia, tal como as novidades mais impactantes da área. É de interesse notar que é uma área de grandes reflexos, já que lida com reais possibilidades de infecções. Acentua-se, pois, a necessidade da preparação do cirurgião-dentista como profissional da saúde.

O Prof. Dr. Rodolfo Francisco Haltenhoff Melani, em conjunto com a Liga de Antropologia e Odontologia Facial e o docente da UFU (Universidade Federal de Uberlândia), Prof. Thiago Beaini, mostraram o microcosmos investigativo da Odontologia. A LAOF demonstrou duas atividades ao longo do ano, as quais a sala cheia acolheu muito bem. O visitante, por sua vez, destrinchou as técnicas digitais da área, cada vez mais complexas, seja por sobreposição de imagens, ou tecnologias de escaneamento.

A docente Dra. Carina Domaneschi subiu a tribuna, à medida que a tarde findava. Em contraponto da sua especialidade em prevenção, mostrou sua polivalência, comentando sobre terapias medicamentosas em urgências odontológicas. Algo compreensível, porque em muitos estudos, existem casos em que uma intervenção química é o método mais efetivo de aliviar o paciente.

Comentando sobre a questão do aprendizado, a gestão do CUBO garantiu a presença de alguns Influencers Odontológicos nas salas de aula da faculdade. Alessandra Souza, mais conhecida pelo seu heterônimo digital, “dentista só para baixinhos” elucidou a abordagem psicológica no tratamento infantil.

A cirurgiã-dentista, com bastante circulação no Instagram, sempre defende a odontopediatria, a partir do orgulho que tem das suas contribuições atuando na área. No Congresso apontou a necessidade do especialista trabalhar para mais da técnica no atendimento a crianças, uma vez que em suas descobertas, o tratamento dental pode ficar marcado no imaginário.

Outro grande das mídias sociais, comparecendo na quinta-feira, foi o cirurgião-dentista Felipe Domerau Ouriques. Sua participação contribuiu à medida que compartilhou sua experiência em atendimentos especiais, como o caso de atendimento e cumplicidade que tem com Gabriel (Homenageado na página do profissional, intitulada “Gabriel Social”). Apesar de marcado pelas redes, o especialista acompanhou o processo de recuperação de seu paciente (vítima da síndrome de Treacher Collins, na qual os ossos e os tecidos moles do rosto não se desenvolvem corretamente) detalhadamente, demonstrando seu cuidado e interesse na relação com o atendido.

Os doutores João Batista Neto e Vitor Sapata, antes da exposição de Felipe, ministraram um Hands On sobre regeneração óssea. Após um período de explicação teórica, os estudantes simularam, fidedignamente, o processo. Os laboratórios sofisticados da unidade mostraram sua utilidade, ao abrigarem lições desse nível.

Com as novas tecnologias em mente, a organização do evento trouxe a docente da Fundecto, Dra. Denise Haddad, expondo a utilidade do bom uso das termografias. A nova tecnologia, por meio de medições de calor, indica áreas de estresse nervoso no paciente. Desta maneira, encontra-se os pontos irradiadores de algia, no intuito de diagnosticar com precisão casos de disfunção temporomandibular (DTM) e infecções de pulpa dental. Quase ficção científica, não?

Ela se assentou, todavia, na necessidade da compreensão da anatomia e da fisiologia, caso se queira identificar enfermidades com eficiência. O novo exame seria apenas uma ferramenta nas mãos do profissional da saúde capacitado.

A DTM, aliás, apareceu outras duas vezes em palestras do congresso. O odontólogo Marcos Venturini Ferreira esmiuçou os diagnósticos do quadro, nem sempre simples, dado as irradiações neurais. Foi mais adiante ao comentar sobre as consequências do bruxismo sobre o funcionamento oclusal e dos ligamentos e tendões da face.

Começando a noite, a Dra. Rosana Di Matteo complementou enumerando as iniciativas eficazes em um tratamento da disfunção. Os quais são muitos, terapias comportamentais, acupuntura, placas oclusais. Se tratando dessa enfermidade, a solução do quadro depende sempre da boa postura do paciente, incentivado a consertar suas parafunções com a finalidade de aliviar sua dor.

A preocupação com o futuro profissional foi outra protagonista. Consultores, nova profissão de destaque para todas as áreas, de uma grande empresa de dentifrícios discorreram sobre a organização financeira e a atuação do cirurgião-dentista, que pode muito bem integrar-se ao mundo corporativo.

Além disso, o Dr. Eber Eliud Feltrim trouxe a noção do odontólogo como empreendedor. Atualmente, a plataforma pode ser mais importante do que o serviço, exemplificou através de empresas online.

Amarrando todas as possibilidades do cirurgião-dentista, o professor Dr. Alexander Cassandri Nishida contatou os alunos a fim de facilitar um simpósio de ex-alunos, no qual os oradores falaram de suas respectivas carreiras. O próprio docente elucidou as dificuldades e benefícios da sua carreira. Seu colega de mestrado Ezequias Costa Rodrigues Júnior conciliou a pesquisa com o mercado, e trabalha em uma empresa internacional, bem como Flávia Palone Aldarvis Bacarin.

Ela, todavia, teve uma experiência na polícia militar, a qual foi tema da primeira palestra do encontro. Explicou sobre o concurso, a rotina, referenciando àqueles que querem trabalhar no ramo. Trabalhando, também, para o Estado, Talita Girio Carnaval esmiuçou o atendimento no serviço público de saúde. Da importância social até o serviço integrado com demais profissionais, destrinchou a importância e a gratificação que têm em seu expediente. As quais, Frederico Seidi Hori compartilha, em partes, trabalhando em uma clínica particular, e propiciando bem-estar.

Já acostumado com o funcionamento do evento, os alunos emocionaram-se, conheceram a si e aos demais congressistas, além de ter um gostinho da profissão pela boca dos muitos conferencistas. Partiram na vontade de mais um dia de CUBO.

Skip to content