(Português) Qualidade e Excelência em Atendimento ao Usuário em destaque para os bibliotecários

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

O Grupo de Trabalho sobre Referência e Atendimento ao Usuário, do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBiUSP), ofereceu um curso sobre seu tema prioritário, lecionado por Adriana Maria de Souza, no Anfiteatro Myaki Issáo. A Faculdade recebeu 59 funcionários de serviço de biblioteca e documentação de diversas unidades, objetivados a oferecer um suporte ainda melhor aos seus clientes, na segunda-feira, 01 de Outubro de 2018. O evento foi transmitido ao vivo com a assistência do Centro de Produção Digital (CPDig).

A conferencista, formada em biblioteconomia e especialista em gestão de pessoas e coaching, destrinchou a diferenciação de um atendimento comum de um referenciado. Algo nivelado em números, normalizados por instituições credenciadas. À vista disso, trouxe novidades aos bibliotecários da Universidade, os quais anotaram algo que faziam de certo e de errado ao prestarem serviços, tal como um novo aprendizado ligado à palestra.

Adriana, inicialmente, levantou questões, de modo a fazer sua audiência refletir sobre a qualidade e satisfação que tinham do e com o trabalho exercido. Diferenciou os três conceitos da tríade do desenvolvimento pessoal (desempenho, aprendizado e satisfação), bases de discernimento de uma atuação profissional, excelente ou medíocre.

Depois, a coaching defendeu a atuação do bibliotecário como agregador de valor, posto que faz um serviço de atendimento, alicerçada nas palavras do empreendedor alemão Karl Albrecht. Consequentemente, a USP ganharia credibilidade como marca, tendo um serviço de informação ainda mais referenciado. Adriana exemplificou com o resultado de seu trabalho na UNESP, onde trabalhou de porteiros a gestores, a fim de melhorar o desempenho da instituição.

Após uma pequena pausa para um café, a palestrante iniciou a esmiuçar processos relacionados ao cotidiano de uma biblioteca, se atendo mais às universitárias. Debruçou-se sobre mapeamento de processos, conhecimento e informação (o pilar da profissão segundo ela), novos canais de informação, enfatizando sempre a empatia e disponibilidades inerentes ao bom atendimento. Além disso, citou algumas possibilidades de aperfeiçoamento disponíveis na internet.

 

Skip to content