(Português) Open science: os caminhos da produção científica aberta no Brasil

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Link:  http://www.aguia.usp.br/?p=45246

Henrique Castro Martins, Professor no IAG – Escola de Negócios, PUC-Rio, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. February 6, 2020 15:00 * Esta é uma reprodução da matéria publicada originalmente no Blog do SciELO [1]

Em um estudo publicado em 2017, Bergh et al. (2017) encontraram que, aproximadamente, 70% dos estudos publicados em um periódico acadêmico de grande prestígio em Ciências Sociais não pode ser replicado. Ao lado de diversos outros estudos, esse foi mais um exemplo de um estudo que falhou em replicar estudos anteriores.

Esse conjunto de falhas de replicação tem chamado a atenção da comunidade acadêmica e tem gerado uma verdadeira crise de confiança, por parte da sociedade, nas pesquisas científicas.

Para melhorar a reprodutibilidade e retomar a confiança da sociedade nas pesquisas acadêmicas, um movimento vem tomando força nos últimos anos: o movimento da Open Science (Ciência Aberta).

Além de objetivar o aumento da reprodutibilidade, o movimento da Open Science (OS) tem como objetivos aumentar a transparência e o compartilhamento de dados e demais materiais utilizados em pesquisas científicas (ORGANISATION FOR ECONOMIC COOPERATION AND DEVELOPMENT, 2015). Esse movimento tem o apoio de diversas organizações supra-nacionais, por exemplo, a União Europeia (2012, 2018), e tem como pilares principais um conjunto de atividades e práticas relacionadas.

As principais práticas são:

Acesso Livre (Open Access): é o acesso virtual, sem restrição (incluindo restrições financeiras), a todo artigo científico publicado em periódicos acadêmicos.

Dados e Materiais Abertos (Open Data and Open Materials): se refere à possibilidade de acessar livremente, sem restrições técnicas ou legais, todos os dados e demais materiais utilizados em uma pesquisa científica.

Código Aberto (Open Source): se refere a softwares e pacotes de códigos disponíveis de forma livre a todo o público, sem restrições legais ou técnicas.

Avaliação Pelos Pares Aberta (Open Peer Review): torna pública a identidade de todos os participantes envolvidos no processo de avaliação de uma pesquisa. Além disso, cria e disponibiliza ao público o histórico das avaliações e alterações em todas as fases de um estudo.

Pré-registro de pesquisa (Preregistration of research): é o comprometimento feito pelos autores de seguir de forma estrita um determinado protocolo de pesquisa que é definido antes da coleta de dados.

Os benefícios da OS são diversos e contemplam virtualmente todos os stakeholders da comunidade científica. Para pesquisadores, OS aumenta a visibilidade das suas pesquisas, a possibilidade de encontrar novas parcerias, a probabilidade de obter financiamentos e aumenta o número de citações de suas pesquisas. Para a comunidade científica, diminui os custos operacionais de coleta, tabulação e manipulação de dados de pesquisas e aumenta a possibilidade de se replicar pesquisas publicadas. Para financiadores de pesquisa, ajuda a entender e a controlar a alocação dos recursos destinados à pesquisa e a avaliar o retorno econômico dos investimentos em pesquisa. Finalmente, para o público em geral, aumenta a possibilidade de acesso ao conhecimento e aos resultados de pesquisas científicas.

Dada a crescente demanda por transparência e ao conjunto de benefícios da OS à comunidade acadêmica, desde meados de 2018, a RAC – Revista de Administração Contemporânea incentiva práticas de OS.

Em particular, em julho de 2018, a RAC adotou políticas de dados abertos a seus artigos e, desde então, incentiva que os autores disponibilizem, de forma livre, os dados de seus artigos (MENDES-DA-SILVA, 2018).

Além disso, em outubro de 2019, a RAC decidiu incluir em sua equipe editorial, um editor de Tutoriais e Dados Abertos. Seu objetivo é 1) comunicar à comunidade acadêmica os benefícios da OS, 2) incentivar práticas de OS relacionadas à transparência, à acessibilidade e à disponibilização de dados de pesquisa, 3) auxiliar os autores no processo de disponibilização, por meio de plataformas virtuais, dos dados e materiais de artigos aceitos para publicação no periódico, e 4) incentivar a publicação de tutoriais de pesquisa, quantitativa e qualitativa, que ofereçam um guia para a tabulação, manipulação e utilização de dados e demais procedimentos de pesquisa acadêmica.

Isso mostra o amadurecimento do movimento de OS no contexto acadêmico nacional e ressalta o comprometimento da RAC em aumentar a visibilidade de seus autores e de incentivar e fomentar o desenvolvimento de práticas de OS junto à sua comunidade. A RAC acredita que a disponibilização de materiais e dados abertos, em particular, e a OS, em geral, tem o potencial de aumentar significativamente o alcance das pesquisas científicas, aumentar o alcance e o impacto de artigos publicados, e incentivar o debate entre membros da academia e agentes da sociedade. Como objetivo final, a partir da adesão de práticas de OS, a RAC está comprometida em criar um ambiente acadêmico mais inclusivo, transparente e eficiente a todos os seus participantes. Para ampliar a discussão acesse o editorial “Transparentes o suficiente? desafios à replicabilidade e à credibilidade da pesquisa na área de negócios”, publicado na RAC (v. 23, n. 5).

Referências

BERGH, D. D. et al. Is there a credibility crisis in strategic management research? Evidence on the reproducibility of study findings. Strategic Organization, 2017, vol. 15, no. 3, pp. 423-436. https://doi.org/10.1177/1476127017701076.

MENDES-DA-SILVA, W. Promoção de Transparência e Impacto da Pesquisa em Negócios. Rev. adm. contemp. [online]. 2018, vol. 22, no. 4, pp.639-649, ISSN 1415-6555 [viewed 06 February 2020]. DOI: 10.1590/1982-7849rac2018180210. Available from: http://ref.scielo.org/8s3qny.

ORGANISATION FOR ECONOMIC COOPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). Making Open Science a Reality. OECD Science, Technology and Industry Policy Papers, 2015. Avaliable from: https://doi.org/10.1787/5jrs2f963zs1-en.

UNIÃO EUROPEIA. Towards better access to scientific information: Boosting the benefits of public investments in research, 2012. Avaliable from: https://ec.europa.eu/research/science-society/document_library/pdf_06/era-communication-towards-better-access-to-scientific-information_en.pdf.

UNIÃO EUROPEIA. Recommendations on access to and preservation of scientific information, 2018. Avaliable from: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/EN/TXT/?uri=CELEX:32018H0790.

Para ler o artigo, acesse

[1] MENDES-DA-SILVA, W. Temos Sido Transparentes o Suficiente? Desafios à Replicabilidade e à Credibilidade da Pesquisa na Área de Negócios. Rev. adm. contemp. [online]. 2019, vol. 23, no. 5, ISSN 1415-6555 [viewed 06 February 2020]. DOI: 10.1590/1982-7849rac2019190306. Available from: http://ref.scielo.org/krg334.

Skip to content