(Português) Debate: A APS que faz a diferença em tempos de pandemia

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Em debate, que ocorreu no início da noite da última quarta-feira, dia 20 de maio, promovido pelas disciplinas de Clínica Ampliada de Promoção de Saúde e de Saúde Coletiva do Departamento de Odontologia Social da FOUSP, foi abordado o caso das ações de Atenção Primária em Saúde (APS) no combate a Pandemia do novo Coronavírus. Estiveram presentes: Prof. Dr. Antônio Carlos Frias, docente da casa; Lula Santos, líder comunitário na São Remo; e Gabriel Vinícius de Oliveira, cirurgião-dentista que atua no serviço público e nos movimentos da comunidade. Além da Profa. Dra. Fernanda Carrer, da FOUSP, como mediadora durante toda a live, que foi transmitida através da plataforma do YouTube.

Em um primeiro momento cada um falou de modo geral, dentro da respectiva realidade, a questão da pandemia por conta do novo coronavírus, e as ações da Atenção Primária à Saúde (APS). Foi objeto de debate toda situação que circunda o Sistema Único de Saúde (SUS), com detalhe para sua importância no atual momento, como tronco primordial, para estruturar a recuperação da sociedade no combate à COVID-19. Ponderando e admitindo os inúmeros problemas e dificuldades que o SUS enfrenta, desde sua criação em 1988, com o subfinanciamento por parte de todos os governos federais que passaram pela administração da pasta da saúde. Contudo, são taxativos ao afirmarem a necessidade do sistema, destacando seus valores para amenizar as consequências da pandemia, traçando um paralelo com o sistema de saúde adotado pelos Estados Unidos (EUA) — atualmente o país com maior número de casos confirmados e também de óbitos — que não tem quase suporte governamental, encontrando-se no olho furacão.

Já no segundo momento, o destaque foi para a questão que envolve diretamente a comunidade São Remo, que está localizada próximo à Universidade de São Paulo. Discutindo a necessidade de união das pessoas no presente momento, muito mais do que em qualquer outro, visto que sempre estiveram à margem da sociedade, perante a negligência governamental.

Abordando a questão assistencialista, de preocupação com a saúde de todos, e buscando conscientizar os moradores através da união, de todas as associações presentes na São Remo, num único coletivo. Essa iniciativa organizou e conscientizou a comunidade quanto às medidas de isolamento social e cuidados básicos de saúde: evitando aglomeração, utilizando máscaras, marcando horário para ida dos moradores até os centros de saúde, além do cuidado especial com idosos e pessoas que fazem parte do grupo de risco, que ficam muitas vezes isoladas e desamparadas por morarem sozinhas.

Ao final responderam perguntas dos internautas que mandavam dúvidas e comentários durante toda a live. Com um debate muito esclarecedor, num recorte nem sempre abordado na grande mídia, sobre a situação da COVID-19 nas favelas e comunidades.

Skip to content