(Português) LIVE: Como Retomar a Saúde Bucal no SUS Frente à Pandemia do COVID-19

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Na segunda-feira, 1° de junho, o Observatório Iberoamericano de Políticas Públicas em Saúde Bucal, a pedido da Coordenação Estadual de Saúde Bucal de São Paulo, realizou sua quarta live, discutindo “Como Retomar a Saúde Bucal no SUS Frente à Pandemia do COVID-19?” que contou com presença de  Gilberto Alfredo Pucca Junior, professor da Universidade de Brasília (UnB), Edson Hilan Gomes de Lucena, professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Antônio Carlos Frias,docente do Departamento de Odontologia Social da FOUSP, Marisa Sugaya, coordenadora de saúde bucal do município de Suzano, além da Prof. Dr. Fernanda Campos de Almeida Carrer, do Departamento de Odontologia Social da FOUSP.

Os convidados iniciaram o debate apresentando o panorama brasileiro, com número de casos, comparação com outros países que já passaram por o atual momento de pandemia que o Brasil enfrenta, detalhando a estrutura do SUS com suas perspectivas. Como há realidades diversas dentro do SUS, com assimetrias de estrutura entre as cidades e regiões, com algumas tendo os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) em plenitude para os profissionais, mas também com muitas Unidades Básicas de Saúde (UBS) não tendo a disponibilidade necessária desses equipamentos.

Em seguida, discutiram uma questão mais política e estrutural sobre a capacidade dos gestores de saúde em cada um dos municípios e centros de saúde. Com a responsabilidade do governo federal, que está há dias sem um Ministro da Saúde, mas também as responsabilidade de prefeitos e governadores. Afinal, há uma necessidade de uma gestão técnica e política competente, sabendo utilizar da melhor forma possível a verba financeira disponível, e também tendo as melhores decisões dos governantes.

Os profissionais do SUS detalharam as realidades que já se depararam, e como o SUS tá lidando com a situação. Afinal, as UBS tiveram que se adaptar, como o caso do teleatendimento, uma alternativa muito discutida e que está sendo colocada em prática no atual momento.

A discussão sobre a reabertura gradual, retomada das atividades, foi pauta da live. A conversas seguia linha se o Brasil já está no estágio para ter essa reabertura, dizendo que permitindo a retomada dos atendimentos eletivos deve congestionar a capacidade do sistema de saúde, não suportando os pacientes de COVID-19. Ponderando sempre, que há atendimentos que não são relacionados ao coronavírus, mas também necessita de atendimento imediato, como alguns pacientes oncológicos. Por fim, cercearam questões quanto a angústia e ansiedade de todos, com a necessidade de isolamento social, obrigados a ficarem em casa.

Skip to content