(Português) Live: Desmistificando o Laser na Odontologia

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Na noite da última quarta-feira, 15 de julho, a Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE) organizou uma live “Desmistificando o Laser na Odontologia” e para a discussão estiveram presentes o Dr. José Roberto Santana de Moura Júnior, e a Profa. Dra. Ana Cecilia Aranha, do Departamento de Dentística.

Durante a live foi a professora Ana Cecilia Aranha quem explicou como o laser pode ser uma ótima alternativa para tratamentos de algumas lesões, podendo ser um algo a mais, na combinação com outros tratamentos. Segundo a doutora: “sempre existiram as chamadas lesões cervicais não cariosas, mas atualmente chama atenção por serem encontradas em pacientes cada vez mais novos, de 18 ou 20 anos, caracterizando um envelhecimento bucal precoce”. E o laser pode ser uma alternativa no tratamento desse tipo de lesão, diminuindo a dor e acelerando a recuperação durante o tratamento.

Um destaque foi a importância do Laboratório Especial de Lasers em Odontologia (LELO) da FOUSP, sendo um centro de respeito e notoriedade na área, que neste ano completa 25 anos de história, sendo um local de importante aprendizado para Ana Cecilia Aranha e toda comunidade acadêmica.

O debate seguiu na linha para explicar os diversos tipos de laser existentes dentro da odontologia, basicamente focando no de baixa potência (0,2 W) e o de alta potência (1W). O primeiro, apresenta um efeito foto modulador do tecido, para reparar lesões, com a absorção de energia pelas células afetadas, resultando numa cicatrização mais rápida. Já o segundo, com caráter fototérmico, usado para cortar elementos da boca, como retirada de tártaro, sempre tomando muito cuidado nesses casos.

Quanto ao valor de investimento necessário, não é tão barato, com algo por volta de $ 4.500,00 e R$ 4.800,00, mas há possibilidade da compra em grupo de profissionais em conjunto, até ter uma capitalização mais adequada. Afinal, o desenvolvimento do uso do laser é aos poucos, entendendo e acompanhando o paciente que está passando pelo tratamento. “O laser é um coadjuvante, primeiro vem a odontologia dita tradicional, o laser veio como algo a mais”, explica a professora.

Um dos maiores mitos é que o laser pode ser utilizado como um método de clareamento, não tendo comprovação científica nenhuma. Além disso, quando usado nesse sentido, buscando clarear os dentes, pode causar um efeito prejudicial ao esquentar a área, aumentando a temperatura.

Por isso, a Dra. Ana Cecilia Aranha fez questão de destacar o uso em lesões cervicais não cariosas; em mucosite, por conta de quimioterapia ou radioterapia, em casos de pacientes oncológicos de cabeça e pescoço; sendo também um meio de reduzir a dor quase que instantaneamente, e consequentemente diminuindo o uso de medicamentos pelo paciente.

 

Para acompanhar na íntegra essa interessante aula, acesse a gravação: https://www.instagram.com/p/CCrpfVgH3TV/

 

Skip to content