(Português) Por Onde Anda – Renata Tucci

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Na coluna deste mês a FOUSP abordou uma profissional que está envolvida com um trabalho incrível relacionada à saúde mental, ainda mais no mês do Setembro Amarelo — campanha de prevenção ao suicídio da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), junto ao Conselho Federal de Medicina —, momento no qual toda a sociedade se volta para essa preocupação, com cuidados às pessoas que sofrem com essa angústia. Para isso, convidamos a Profa. Dra. Renata Tucci, ex-aluna de Mestrado e Doutorado em Patologia Oral pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP).

Nossa entrevistada sempre focou seus estudos em patologia oral, com pós na área, e lecionando na Universidade de Cuiabá (2004-2006), sendo coordenadora científica do Instituto de Pesquisa em Saúde (2008-2013), ocupando o cargo de professora titular na Universidade Paulista (2011-2014), chegando até a Universidade Federal Fluminense (UFF) em dezembro de 2014. Contudo, seu diferencial foi quando assumiu a coordenadoria do curso de graduação em odontologia do Instituto de Saúde de Nova Friburgo na UFF no final de 2017. Afinal, foi quando iniciou um trabalho com os alunos de graduação, visando manter a saúde mental de todos, através de uma disciplina optativa.

Sempre ligada à vida acadêmica, nunca exercendo a profissão em consultório particular, a docente contou como foi idealizada a disciplina optativa — Saúde Mental: Diálogos Universitários — no campus de Nova Friburgo: “chegou até meu conhecimento dois casos de tentativa de suicídio de nossas alunas, algo que choca e fez com que eu pensasse um pouco mais sobre a questão de saúde mental dentro da universidade”.

Deste modo, a cirurgiã-dentista entrou em contato com os coordenadores dos cursos de graduação de fonoaudiologia e biomedicina , Gisele Gouvêa e Leonardo Mendonça, respectivamente, para buscar integrar todo o campus em prol de acolher de alguma forma todos os alunos de graduação que necessitassem de algum suporte nesse aspecto. “Ambos os coordenadores foram muito solícitos, me atenderam prontamente, para que fosse possível a realização dos encontros”, detalha a professora.

A disciplina não tem caráter de tratamento como quis salientar a Dra. Renata Tucci, sendo encontros semanais buscando amenizar o sofrimento dos alunos que estão passando por algum momento complicado psiquicamente. As reuniões abordam vídeos, documentários, profissionais da área de psicologia e psiquiatria, tudo em forma de roda de conversa, sempre dando abertura e espaço para que os alunos interajam, sugerindo pautas e temas.

Evidentemente há uma preocupação quanto ao tratamento psicológico e psiquiátrico. Por isso, nas aulas também são apresentados centros especializados, que possam de alguma forma fornecer o tratamento individualizado para cada aluno que necessitar, como no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) do Ministério da Saúde.

Por outro lado, há um foco na integração entre os três cursos de graduação do Campus de Nova Friburgo — odontologia, fonoaudiologia e biomedicina —, buscando fomentar a discussão entre as bolhas sociais dentro da mesma universidade. Além disso, as aulas incentivam o esporte e a manifestação artística de seus alunos: “por se tratar de uma disciplina precisamos conferir nota para cada um dos alunos. Por isso, o trabalho de conclusão sempre envolve uma imersão artística incrível, e por consequência acabamos conhecendo talentos muitas vezes escondidos”, explica Renata Tucci.

Neste momento de pandemia, no qual o número de casos de suicídio e mazelas relacionadas à saúde mental dispararam, os encontros da disciplina, Saúde Mental: Diálogos Universitários, tornaram-se ainda mais vitais. Por isso, a ex-aluna de pós-graduação optou por ter um suporte remoto da psicanalista Ana Lucília Rodrigues: “a Ana está nos ajudando e muito neste momento de pandemia, trabalhando direto da cidade de São Paulo. Depois que tudo isso passar vai ser difícil não poder contar com seu trabalho, se fosse possível seria de grande ajuda mantê-la”, lamenta.

O Setembro Amarelo é uma importante campanha, que atinge diversas bolhas e setores da sociedade civil brasileira. Entretanto, nós devemos ter a preocupação quanto à saúde mental, com doenças como depressão e ansiedade, durante todo o ano, não apenas em um mísero mês. Como faz nossa ex-aluna, Renata Tucci, em seu trabalho na Universidade Federal Fluminense: “acredito que o que sintetiza todo esse projeto é a escuta, afeto, carinho, acolhimento e lugar de fala para todos os nossos alunos”.

 

Confira alguns dos temas abordados durante as aulas da disciplina optativa Saúde Mental: Diálogos Universitários:

  • A universidade e a Pandemia de COVID-19
  • Os impactos do isolamento social e sua relação com o sofrimento
  • Universidade e sofrimento psíquico. Quais os motivos?
  • Viver longe de casa
  • Ansiedade, angústia, depressão e suicídio no ambiente universitário
  • O eu e o outro
  • A arte da escuta, Você sabe escutar? Você é escutado?
  • Sofrimento do cotidiano: redes sociais, excesso digital, solidão, ressentimento
  • A arte, o esporte e formas de prazer fora da universidade

 

 

fotos: arquivo pessoal

texto: Gabriel Cillo

Skip to content