(Português) Momento Odontologia #75: Tratamentos ortodônticos trazem inúmeros benefícios também para pacientes adultos

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Especialista conta sobre os benefícios e cuidados que pacientes precisam ter, além de destacar que, com o aumento da expectativa de vida, somado ao estilo de vida mais ativo das pessoas na terceira idade, a busca pelo tratamento ortodôntico nessa faixa etária tem aumentado bastante nos consultórios

Por  – Editorias: – URL Curta: jornal.usp.br/?p=365239

É comum escutar que os tratamentos ortodônticos, como a fixação de aparelhos, por exemplo, devem ser realizados durante a infância ou adolescência, já que se tem a impressão que, quanto mais velho a pessoa fica, há menos chances do tratamento dar certo. Mas isso não é verdade.

“É possível, sim, colocar aparelho ortodôntico em qualquer idade”, diz a professora Lylian Kazumi Kanashiro, da Faculdade de Odontologia de São Paulo (FO) da USP. O aparelho ortodôntico no adulto pode ser indicado em muitas situações, seja para melhorar a estética, nos casos em que o paciente perdeu um dente, ou então para buscar uma mordida mais equilibrada.

A professora explica que existem algumas diferenças no tratamento ortodôntico de um adulto para o de uma criança ou adolescente. A primeira diz respeito à complexidade do problema, já que, “na criança, a oclusão ainda está em desenvolvimento, então, ela tende a ser menos complexa”.

Já a segunda diferença acontece nas situações em que o desvio da mordida não está relacionado somente à posição errada dos dentes. Às vezes, o problema pode estar em uma ou nas duas bases ósseas que seguram os dentes, que são a maxila e a mandíbula. “Em adultos, não é possível contar com o crescimento. Então, se for preciso corrigir a maxila ou a mandíbula, terá que ser feito por meio de cirurgia ortognática”, explica a professora.

Lylian destaca que, para que o paciente adulto inicie um tratamento ortodôntico, é fundamental que a gengiva e o osso que seguram os dentes estejam saudáveis, porque “não se deve realizar movimentos dentários enquanto existir uma doença periodontal ativa”.

Além disso, ressalta que o tempo de uso do aparelho é praticamente o mesmo, independentemente da faixa etária. “Os principais fatores que interferem no tempo do tratamento são a complexidade do caso, o objetivo do tratamento e a colaboração do paciente”, destaca Lylian, que ainda acrescenta que quebras e perdas do aparelho, faltas às consultas e o uso inadequado de elásticos também são fatores que alteram diretamente o tempo do tratamento.

Os cuidados que o paciente adulto deve ter durante o tratamento ortodôntico são os mesmos das crianças e adolescentes. No caso dos dentes, o objetivo tem que ser a prevenção de cáries, manchas permanentes no esmalte dos dentes e de perdas ósseas. O paciente também deve evitar alimentos e bebidas com açúcar e carboidratos entre as refeições principais. Quanto aos cuidados com o aparelho, o objetivo deve ser evitar a quebra dos aparelhos fixos. “Para isso, o paciente deve evitar alimentos com consistência dura, colocar os alimentos na boca em porções pequenas e criar o hábito de comer devagar, para que a força mastigatória não exerça uma pressão excessiva e quebre os braquetes”, destaca a professora.

Outra questão abordada é se a falta de dente impede a colocação de um aparelho ortodôntico. Lylian afirma que não e que a ortodontia pode influenciar positivamente esses pacientes. “No caso em que foram perdidos um ou mais dentes, pode se planejar o fechamento total do espaço existente ou regularizar os espaços para a recolocação mais adequada de uma prótese ou implante”, explica a professora. Ela ainda continua que os planejamentos dos casos com perdas dentárias são realizados em conjunto com dentistas de outras especialidades.

E pacientes idosos também podem realizar tratamento ortodôntico. “Com o aumento da expectativa de vida, somada ao estilo de vida mais ativo das pessoas na terceira idade, a busca pelo tratamento ortodôntico tem aumentado bastante nos consultórios”, destaca Lylian. É que como elas procuram uma melhor qualidade de vida, também “buscam a estética e a melhora da função, como a mastigação”. Ela ainda aconselha que pessoas da terceira idade, que precisam ou tenham que fazer algum tratamento, devem procurar um dentista.

A professora destaca que o tratamento ortodôntico em adultos, pensando na estética, pode aumentar, inclusive, a autoestima do paciente. “Mas os benefícios do tratamento ortodôntico não se resumem somente à estética”, alerta. Há um benefício funcional relevante, porque, quando o paciente tem uma mordida equilibrada, “tem também a prevenção de problemas na gengiva, de desgastes e fraturas dos dentes”. Além disso, a higienização se torna mais fácil e , com tudo isso, “o paciente adulto terá condições de manter seus dentes intactos e saudáveis ao longo de toda a sua vida”.

Ouça este episódio completo do Momento Odontologia no player acima.

Produção e Apresentação: Rosemeire Talamone
CoProdução: Alexandra Mussolino de Queiroz (FORP), Letícia Acquaviva (FO), Paula Marques e Tiago Rodella (FOB)
Edição Sonora: Gabriel Soares
Edição Geral: Cinderela Caldeira
E-mail: ouvinte@usp.br
Horário: segunda-feira, às 8h05
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 107,9; ou Ribeirão Preto FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS
Veja todos os episódios do Momento Odontologia
Skip to content