(Português) FOUSP na mídia: Análise laboratorial com luz infravermelha prediz casos graves de Covid-19

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

publicado no UFABC

Pesquisadores desenvolveram metodologia para realizar a predição do estado crítico de pacientes com Covid-19. O grupo de cientistas, liderado pelo professor Herculano Martinho da UFABC, obteve resultados que mostram a viabilidade da identificação prévia de casos sujeitos a reações ultraexageradas do sistema imunológico (mais informações abaixo) com o uso de luz infravermelha. Essa informação antecipada permite a prevenção do agravamento do quadro clínico de enfermos, especialmente por meio de tratamento à base de antialérgicos específicos .

O estudo conseguiu identificar a pré-disposição para o problema por meio da análise do nível de absorção de luz infravermelha em uma microgota de plasma sanguíneo. Herculano explica que o resultado da interação do feixe luminoso com vibrações moleculares — determinando o nível em que isso acontece e em que quantidade — revela a propensão para um maior grau de fatalidade.

analise laboratorial com luz infravermelha prediz casos graves de covid 19 ufabc thumb foto 01

Figura 1. Representação de uma imunoglobulina. A sua estrutura lembra a letra “Y”, e em sua base existem moléculas ligadas de açucares, como a Fucose. No detalhe, são vemos as ligações químicas e os grupos funcionais da Fucose. Esses grupos estão em movimento, são as vibrações moleculares.

O professor da UFABC destaca que a sensibilidade (capacidade de distinguir um positivo verdadeiro) da técnica foi de 100%, apresentando performance do método comparável ao padrão-ouro dos testes imunoenzimáticos (ELISA) e de quimioluminescência (CLIA). Ele conta que atualmente ocorre um trabalho de análise de dados de 500 pacientes, incluindo outras doenças respiratórias e inflamatórias, para identificar possíveis sinais interferentes.

As observações ocorrem em equipamento comercial da Central Multiusuário da UFABC com tecnologia de mensuração desenvolvida pelo grupo de pesquisadores. Além de Herculano, integram o projeto a professora Janete Dias Almeida da Universidade Estadual Paulista (Unesp), o professor Paulo Henrique Braz da Silva da Universidade de São Paulo (USP) e o professor José Angelo Lauletta Lindoso do Instituto de Infectologia Emilio Ribas.

analise laboratorial com luz infravermelha prediz casos graves de covid 19 ufabc thumb foto 02

Figura 2. Representação do processo de absorção de infravermelho pela micro-gota.

Tempestade

As reações ultraexageradas do sistema imunológico são ocorrências que se tornaram associadas aos quadros graves da Covid-19. Milhares de artigos científicos vem reportando a correlação do maior grau de letalidade da doença com o comportamento exacerbado do sistema imune (fenômeno conhecido como “tempestade de citocinas”). Segundo o professor Herculano, essa síndrome relaciona-se com a menor quantidade de moléculas de açúcar ligadas às imunoglobulinas, proteínas que circulam no sangue e que, dentre várias tarefas, influenciam o funcionamento do sistema imunológico.

Artigo da Scientific Reports (Nature): Micro-Fourier-transform infrared reflectance spectroscopy as tool for probing IgG glycosylation in COVID-19 patients


Texto: Assessoria de Comunicação e Imprensa (ACI UFABC). Imagens: professor Herculano Martinho (UFABC)

Ir al contenido