FO – Faculdade de Odontologia - Faculdade de Odontologia da (USP) Universidade de São Paulo

Apresentação

INFOUSP Out-Dez 2016 INFOUSP outubro a dezembro 2016_Página_02
INFOUSP julho a setembro 2016_Página_01  INFOUSP julho a setembro 2016_Página_02
INFOUSP Abr-Jun 2016 11_Página_02
INFOUSP Jan-Mar 2016 10_Página_02
 INFOUSP Out-Dez 2015  9_Página_029_Página_03
 INFOUSP Jul-Set 2015  8_Página_02
 INFOUSP Junho 2015  7_Página_02
 INFOUSP Janeiro-Março 2015  6_Página_02
 INFOUSP Outubro - Dezembro 2014  5_Página_02
 INFOUSP Julho - Setembro 2014  4_Página_02
 INFOUSP Abril - Junho 2014  3_Página_02
 INFOUSP Janeiro-Março 2014  2_Página_2
 INFOUSP Outubro-Dezembro 2013
 1_Página_2

Gestão 2013-2017

O início de uma nova gestão

Entrevista com o Novo Diretor

O Prof. Dr. Waldyr Antônio Jorge foi designado Diretor da Faculdade de Odontologia no dia 9 de novembro de 2013. A seguir, ele fala sobre os objetivos e planos da gestão.

Como pretende manter e melhorar a qualidade do ensino?

A FOUSP é uma unidade que oferece um grau de excelência no ensino. Porém, temos que nos aprimorar, até porque estamos em um período em que a reforma curricular necessita de avaliações, reajustes e adaptações, e existe o plano de se rediscutir isso. O currículo deve ser constantemente  reavaliado  pelos seus atores: docentes e alunos, para buscarmos a excelência.

Quais serão os espaços para essas discussões?

Eles têm que ser abertos e permanentes.  A  reforma curricular deve ser discutida na Comissão de Graduação, reuniões departamentais e interdepartamentais,  CTA e Congregação. Além disso, pretendo criar um Conselho de Apoio à Gestão (CAG), não estatutário,  e que visa dar suporte à Diretoria para estabelecermos objetivos em conjunto. Docentes, discentes, egressos e funcionários participarão desse Conselho, para termos uma visão mais ampla da Odontologia e da nossa instituição.

Qual o cenário atual das pesquisas desenvolvidas e quais propostas de melhoria?

A pesquisa na nossa Faculdade está bem, tem grau de excelência, mas pode e deve melhorar. Temos que incentivar os novos pesquisadores, mas não em detrimento da excelência em outros segmentos. Vamos transformar as nossas forças individuais em sinérgicas, fazer com que cada grupo de pesquisa esteja inserido em um mesmo ambiente e em um projeto maior. Já está prevista a criação de um Módulo de Ensino e Pesquisa; um prédio de seis andares em uma área onde iremos alocar os pesquisadores da nossa unidade. Podemos e deveremos criar um Instituto de Pesquisas Odontológicas (IPqO) e Laboratórios de Investigação Odontológica, que não se sobreponham e nem disputem com o ICB, mas que sejam mais voltados à Odontologia e nos dêem suporte para as áreas básicas. Esse é um projeto institucional e tem que envolver a todos para que se concretize nos próximos 10 anos.

Em relação à Cultura e Extensão, qual a ideia para os próximos anos?

A Extensão tem que ter um viés de maior envolvimento e não pode ser considerada menos importante. Existem muitos projetos que continuarão a ser prestigiados e outros tantos criados. Temos novas propostas que serão discutidas com a CCEx, que envolvem os cursos de Especializações,  Aperfeiçoamentos e Aprimoramentos, em parcerias com a FFO-Fundecto. Entre outras, está a reativação do coral na FOUSP, exposições periódicas ar- tisticas e específicas da história da odontologia. Estimular nosso alunato para, possivelmente, resgatar o “Show 25”, que ocorria todo final de ano, desde a década de 1950.

Como alavancar a internacionalização na unidade?

Vamos continuar estimulando nossos alunos através de bolsas de intercâmbio, mérito acadêmico e participação no programa Ciências sem Fronteiras. Incentivaremos o intercâmbio pós doc envolvendo as novas sedes internacionais da USP em Londres, Cingapura, Boston e São Paulo. Com esses novos horizontes, traremos gente para cá e estaremos preparando os discentes para o enten- dimento de que não somos uma ilha.

E para infraestrutura física, quais são os projetos?

Existem pequenos e grandes projetos. Os que já estavam determinados pela diretoria anterior são institucionais e daremos continuidade. Temos projetos de melhorias de laboratórios, estacionamento, Clínica Odontológica, acervo do SDO e outros pontuais nos departamentos. Os tetos dos departamentos de Biomateriais e Biologia Oral e Dentística, além da ala da Administração serão fechados até o fim de janeiro. Também estamos unificando os biotérios.  Em conjunto com a Comissão de Pesquisa, será elaborado um protocolo do uso dos mesmos. No momento, as obras são mais específicas, mas existem projetos para aprimorar a área de convivência dos alunos, funcionários e docentes, por exemplo. Faremos uma programação  na  qual  o  Conselho de Apoio à Gestão irá atuar junto às várias Comissões.

Como se sente com a votação do  Colégio  Eleitoral,  com  75% dos votos e quando se dará a solenidade de posse?

Me sinto honrado com a expressiva aprovação do Colégio Eleitoral em sufragar meu nome em primeiro escrutínio e me sinto, mais ainda, responsável e embuído dos deveres em continuar a construção dos destinos de nossa centenária faculdade. Quanto à solenidade de posse, decidi, em conjunto com o Magnífico Reitor e Chefia de Gabinete, dispensar a cerimônia festiva,  visto que, mesmo havendo motivo de festas pessoais, devemos estar mais voltados para os nossos deveres.

Quais são as expectativas para a gestão?

Muito trabalho! Manter e aprimorar o que está sendo bem feito, melhorar o que não está e, eventualmente, corrigir o que for necessário. Não podemos nos atemorizar pelos  desafios, ter enfrentamentos na vida é o nosso viver e devemos considerar a vida como nossa grande e única aliada.

 


Compartilhe
 
Desenvolvido por USP Mídias Online