FO – Faculdade de Odontologia - Faculdade de Odontologia da (USP) Universidade de São Paulo

Anestesiologia (Disciplina Interdepartamental)

Professora Titular:

Profa. Dra. Márcia Martins Marques
mmmarques@usp.br | lattes

Professor Associado:

Prof. Dr. Oswaldo Crivello Júnior
crivello@usp.br | lattes

Prof. Dr. José Benedito Dias Lemos
jbdlemos@usp.br | lattes

Objetivos gerais

A disciplina de Anestesiologia tem por objetivo capacitar o aluno para, da maneira mais suave e eficiente possível, tornar-se apto a promover o controle dos desconfortos e dores que habitualmente decorrem das intervenções odontológicas.

Estratégias de ensino

O processo de ensino-aprendizado adotado pela disciplina busca induzir no aluno a visão de que: por mais delicado e cuidadoso que possa ser um profissional cirurgião-dentista, as intervenções que pratica (por dever de ofício) são, no mais das vezes, invasivas, desconfortáveis e até dolorosas, cabendo portanto ao profissional, esforçar-se ao máximo, sob os prismas do cognitivo, do ganho de habilidades; e, principalmente do comportamental, encontrar caminho que torne uma sessão de intervenção odontológica, momento de recuperação da saúde e não, ocasião de marcante sofrimento.

Assim, aspectos psicoemocionais que abranjam paciente e operador são tratados com destaque durante o desenvolver da disciplina.

De outra parte, reside no escopo da disciplina de Anestesiologia, a absoluta necessidade de o aluno reacender conhecimentos prévios. Para tanto, docentes das disciplinas de Anatomia e de Farmacologia são solicitados a novo comparecimento na formação do aluno, existindo, após o momento do acordar de conhecimentos já existentes, período, curto e objetivo, no qual a estratégia de ensino aprendizado é pautada em estratégias do tipo PBL (Problem Based Learning), incitando os alunos ao buscar de respostas a 10 quesitos fundamentais, que todo cirurgião-dentista, obrigatória e minimamente necessita deter. Isso é entregue por escrito e assim deve ser devolvido em prazo idôneo, respeitando o estudar individual ou grupal, centrando em todos os tempos e circunstâncias, a responsabilidade do aprender no aluno.

A parte prática que o aluno deve assimilar busca-se desenvolver em quatro tempos distintos:

a) em peças anatômicas dissecadas tendo em vista recordar os reparos anatômicos e as distribuições nervosa e vascular;
b) em aulas magistrais curtas que oferecem visão e comentários sobre as técnicas anestésicas intrabucais;
c) em momento prático, em clínica odontológica, sob a devida paramentação e disposição de material e instrumentos, no qual os alunos são instruídos e acompanhados em exercícios de simulação da aplicação das técnicas anestésicas intrabucais;
d) em outro momento prático, também em clínica odontológica, agora em associação à disciplina de Dentística Restauradora I, ocasião em que os docentes da disciplina de Anestesiologia acompanham, durante 8 horas (dois períodos de clínica), os alunos nas anestesias locais que necessitam instalar em seus pacientes.

Disciplina: Anestesiologia
Natureza: Teórico-Clínico
Carga horária: 15 horas-aula (1 crédito)
Disciplina oferecida semestralmente para os cursos diurno e noturno

Bibliografia recomendada

American Dental Association and American Hearth Association. Management of dental problems in patients with cardiovascular disease. J Amer Dent Ass , v. 68, n. 3, p. 333-42, Mar 1964.
Antoniazzi, J. H. & Bombana, A. C. Estudo comparativo em Endodontia de duas lidocaínas com vasoconstritor e de diferentes procedências. Rev Bras de Odontol, v.4, n.46, p. 16-26, 1989.
Andrade, E. D. Terapêutica medicamentosa em Odontologia. São Paulo: Artes Médicas. 1999, 188p.
Bennett, C. R. Monhein’s anestesia local e o controle da dor na prática dental. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1986, 191p.
Bombana, A. C. Manual ilustrado de anestesia local aplicada à Odontologia. 4 ed. Fundo Editorial Cristália, 1995, 33p.
Covino, B. G. & Giddon, D. B. Pharmacology of local anesthetics agents. J Dent Res, v.60, n.8, p. 1454-9, Aug. 1981.
Jastak, J. T.; Yagiela, J. A.; Donaldson, D. Local anesthesia of oral cavity. Philadelphia: Saunders, 1995, 339p.
Malamed, S. F. Handbook of local anestesia, 4 ed. St. Louis : Mosby. 327p.
Melbach A. Técnica anestésica mandibular Ca-Zoe (Crista alveolar/Zona óssea esponjosa) Rev Ass Paul Cir Dent, v. 51, n.5 set./out. 1997.
Tortamano, N; Soares, M. S. Alopatia. Prevenção e controle da dor usando os medicamentos genéricos na clínica odontológica. Atualização na Clínica Odontológica. São Paulo: Artes Médicas, cap. 17, p. 531-544, 2000.


Compartilhe
 
Desenvolvido por USP Mídias Online