Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Responsáveis: Profa. Dra. Ericka Tavares Pinheiro Profa. Dra. Carla Renata Sipert As linhas de pesquisa desenvolvidas no Laboratório de Microbiologia Molecular incluem: (1) a análise microbiológica dos canais radiculares por métodos moleculares baseados em RNA/ DNA e (2) mecanismos moleculares da etiopatogenia das doenças da polpa e periápice. O laboratório possui infraestrutura para realização da extração de DNA/ RNA, Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) e Reação da PCR de Transcrição Reversa (RT-PCR), contando com os seguintes equipamentos: microcentrífuga refrigerada (modelo 5424-R, marca Eppendorf); capela de fluxo laminar vertical para PCR; termociclador para PCR (modelo GeneAmp 2720, Thermofisher); sistema de eletroforese horizontal (cuba e fonte para eletroforese modelo K33-300V, Kasvi); transiluminador UV para eletroforese e sistema de foto documentação de géis (modelo T2202, Sigma). O laboratório também possui estrutura para o cultivo de bactérias anaeróbias facultativas e realização de testes fenotípicos para o estudo dos fatores de virulência bacteriana e suscetibilidade antimicrobiana. Os métodos de estudos envolvendo a cultura bacteriana estão focados no estudo de fatores de virulência de Enterococcus faecalis e sua interação in vitro com células de defesa do hospedeiro. Para isso, são utilizados os seguintes equipamentos: estufa para cultura bacteriológica, espectrofotômetro, agitador de tubos e capela de fluxo laminar horizontal exclusiva para a manipulação de bactérias. O Laboratório de Microbiologia Molecular do Departamento de Dentística foi criado em 2016 e estão sendo realizadas diversas pesquisas por graduandos, pós-graduandos e docentes do Departamento de Dentística, assim como de outros departamentos. As pesquisas estão desenvolvidas com verbas obtidas de agências de fomento, como FAPESP, Capes e CNPq, na forma de bolsas ou de auxílios à pesquisa.

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Responsáveis:
Profa. Dra. Ericka Tavares Pinheiro
Profa. Dra. Carla Renata Sipert

As linhas de pesquisa desenvolvidas no Laboratório de Microbiologia Molecular incluem: (1) a análise microbiológica dos canais radiculares por métodos moleculares baseados em RNA/ DNA e (2) mecanismos moleculares da etiopatogenia das doenças da polpa e periápice.

O laboratório possui infraestrutura para realização da extração de DNA/ RNA, Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) e Reação da PCR de Transcrição Reversa (RT-PCR), contando com os seguintes equipamentos: microcentrífuga refrigerada (modelo 5424-R, marca Eppendorf); capela de fluxo laminar vertical para PCR; termociclador para PCR (modelo GeneAmp 2720, Thermofisher); sistema de eletroforese horizontal (cuba e fonte para eletroforese modelo K33-300V, Kasvi); transiluminador UV para eletroforese e sistema de foto documentação de géis (modelo T2202, Sigma).

O laboratório também possui estrutura para o cultivo de bactérias anaeróbias facultativas e realização de testes fenotípicos para o estudo dos fatores de virulência bacteriana e suscetibilidade antimicrobiana. Os métodos de estudos envolvendo a cultura bacteriana estão focados no estudo de fatores de virulência de Enterococcus faecalis e sua interação in vitro com células de defesa do hospedeiro. Para isso, são utilizados os seguintes equipamentos: estufa para cultura bacteriológica, espectrofotômetro, agitador de tubos e capela de fluxo laminar horizontal exclusiva para a manipulação de bactérias.

O Laboratório de Microbiologia Molecular do Departamento de Dentística foi criado em 2016 e estão sendo realizadas diversas pesquisas por graduandos, pós-graduandos e docentes do Departamento de Dentística, assim como de outros departamentos. As pesquisas estão desenvolvidas com verbas obtidas de agências de fomento, como FAPESP, Capes e CNPq, na forma de bolsas ou de auxílios à pesquisa.

Skip to content