Durante o ano de 2015, o Programa de Pós-Graduação em Ciências Odontológicas da Faculdade de Odontologia da USP, juntamente com a diretoria do Departamento Regional de Educação do Município de São Paulo da Região do Butantã e professores de ciências de escolas do ensino fundamental dessa região elaboraram um projeto educacional para integrar o ensino fundamental e a pós-graduação.

O projeto Experimentando Ciência foi implementado no de 2016 e baseia-se nos direitos de aprendizagem do Plano Nacional da Alfabetização na Idade Certa desenvolvido pelo Governo Federal. Para o cumprimento dos direitos de aprendizagem, faz-se fundamental oferecer, no âmbito escolar, oficinas de ciências como forma de ampliar a visão de mundo do educando para que ele possa vivenciar e experimentar aspectos importantes da ciência.

Saiba mais sobre o projeto Apresentação Experimentando Ciência

Dessa forma, são desenvolvidas na Faculdade de Odontologia atividades de oficinas de ciências para alunos do ensino fundamental. Os conteúdos dessas oficinas foram elaborados e desenvolvidos em parceria entre os professores de ciências das escolas do ensino fundamental e professores de pós-graduação.


Participam do projeto cinco laboratórios coordenados por Professores do Programa de Pós Graduação em Ciências Odontológicas:


O planejamento e execução do projeto foram realizados pelos professores da FOUSP acima citados, além do Prof. Marcelo Bönecker, alunos da pós-graduação e de Iniciação Científica que desenvolvem atividades de pesquisa nos laboratórios envolvidos na atividade e funcionários da FOUSP, alem de professores representando as escolas participantes.

No primeiro ano de implantação do projeto em 2016, cinco Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEF) da Região do Butantã na zona oeste da cidade de São Paulo, e próximo a FOUSP participaram das atividades, o que totalizou 200 crianças envolvidas do projeto. Para maior detalhes, acesse o relatório do projeto desenvolvido ao longo de 2016: Experimentando Ciência – Uma ação de aproximação entre o ensino fundamental e a pós-graduação.

Em 2017, as mesmas cinco EMEFs continuaram a participar do projeto, e foi possível convidar duas novas escolas para integrarem as atividades. Assim, mais uma EMEF da Região do Butantã e uma escola Estadual da Região do Heliópolis na zona leste da cidade de São Paulo foram envolvidas no projeto, o que totalizou a participação de 280 crianças.  Além do projeto ter podido oferecer a participação a um maior numero de crianças, durante o ano de 2017 pudemos aprimorar as metodologias desenvolvidas nos laboratórios e no momento de multiplicação das experiências vivenciadas. Nesse ano, a FUNDECTO (Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Odontologia) colaborou efetivamente oferecendo à todas as crianças um lanche na hora do intervalo. Para maiores detalhes, acesse os links na parte inferior dessa página.

Em 2018 os desafios aumentaram. O projeto teve condição de crescer mais um pouco e pudemos convidar mais duas escolas além das sete que já participaram das atividades em 2017. Durante o ano de 2018 uma nova atividade laboratorial foi instituída aonde o projeto teve a oportunidade de expandir atividades para conscientização da saúde corporal e bucal das crianças. Amostras de microflora das mãos das crianças foram coletadas antes e após lavagem com água e sabão, assim as crianças puderam observar a importância de cuidar bem da higiene das mãos. Também foi realizada uma pesquisa quali-quantitativa para avaliar o impacto da visita das crianças ao projeto.

Para 2019, decidimos aprofundar as experiências de ciências que as crianças realizam e vamos trabalhar com cada uma das escolas em dois momentos. Num primeiro momento as escolas trarão as crianças para a atividade de realizar experimentos laboratoriais. Num segundo momento, as escolas irão trabalhar um dos conteúdos desenvolvidos nos laboratórios e elaborar um material didático a ser compartilhado com outras escolas envolvidas no projeto. Para esse ano haverá a inclusão de uma nova atividade laboratorial onde os alunos irão trabalhar os conceitos dos materiais dentários. Além disso, amostras da microflora bucal, além da microflora das mãos serão coletadas para analise. O projeto vem crescendo e aprofundando conhecimentos.


 

Skip to content